Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Parâmetros ecocardiográficos como preditores de eventos cardiovasculares em pacientes em hemodiálise / Echocardiographic parameters as cardiovascular event predictors in hemodialysis patients

Siqueira, Thayse Mayara Aragão; Ferreira, Pedro Antônio Muniz; Monteiro Júnior, Francisco das Chagas; Salgado Filho, Natalino; Ferreira, Adalgisa de Souza Paiva; Santos Neto, Eugênio dos; Souza, Francival Leite de; Cardoso, Paulo de Tarso.
Arq. bras. cardiol; 99(2): 714-723, ago. 2012. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-647714
FUNDAMENTO: Pacientes com doença renal crônica (DRC) em hemodiálise possuem altas taxas de morbidade e mortalidade cardiovascular. Apesar de alterações ecocardiográficas estruturais e funcionais em pacientes submetidos à hemodiálise terem sido objeto de diversos estudos de análise de sobrevida, o valor prognóstico destas alterações ainda não está bem estabelecido na literatura.

OBJETIVO:

Determinar o valor prognóstico de parâmetros ecocardiográficos em pacientes com DRC em hemodiálise.

MÉTODOS:

Sessenta pacientes consecutivos com DRC em tratamento hemodialítico foram avaliados clinicamente e submetidos ao ecodopplercardiograma, sendo acompanhados durante 19 ± 6 meses. Os desfechos avaliados foram eventos cardiovasculares fatais e não fatais e mortalidade geral. O valor preditivo das variáveis ecocardiográficas foi avaliado pelo modelo de regressão de Cox, as curvas de sobrevida foram construídas pelo método de Kaplan-Meier e o teste log rank foi utilizado para compará-las.

RESULTADOS:

As taxas de sobrevida livre de eventos cardiovasculares, de mortalidade cardiovascular e de mortalidade global em dois anos foram de 79,4%, 88,5% e 83%, respectivamente. Diabetes, diagnóstico prévio de doença cardiovascular (DCV), fração de ejeção, fração de encurtamento, diâmetro sistólico do ventrículo esquerdo e relação E/e' foram preditores de desfecho cardiovascular na análise univariada. Na análise multivariada, história prévia de DCV (HR = 6,17; IC 95% 1,7 - 22,2; p = 0,005) e disfunção diastólica moderada a grave (HR = 3,76; IC 95% 1,05 - 13,4; p = 0,042) foram fatores de risco independentes para eventos cardiovasculares.

CONCLUSÃO:

Disfunção diastólica de moderada a grave é um preditor independente de eventos cardiovasculares em pacientes em hemodiálise.
Biblioteca responsável: BR1.1
Selo DaSilva