Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Iniciação sexual e práticas contraceptivas de adolescentes na tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai / Sexual initiation and contraceptive practices among adolescents in the tri-border area between Brazil, Argentina, and Paraguay / Iniciación sexual y prácticas anticonceptivas de adolescentes en la triple frontera entre Brasil, Argentina y Paraguay

Priotto, Elis Maria T. Palma; Führ, Aline Luiza; Gomes, Ludmila Mourão Xavier; Barbosa, Thiago Luis de Andrade.
Rev. panam. salud pública; 42: e16, 2018. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-961750
RESUMO Objetivo Determinar a prevalência de iniciados sexualmente e as práticas contraceptivas de adolescentes na região de tríplice fronteira entre Foz do Iguaçu (Brasil), Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina). Método Estudo transversal do qual participaram 2 788 adolescentes de escolas públicas com idade entre 12 e 18 anos. As informações foram obtidas através de questionários aplicados nas escolas no período de 2012 a 2013. Foram analisadas a prevalência de iniciação sexual, práticas contraceptivas e variáveis sociodemográficas dos indivíduos dos três municípios. Para verificar a associação entre as variáveis, utilizou-se o qui-quadrado com nível de significância de 5%. Resultados A prevalência geral de iniciação sexual dos adolescentes foi de 34,6% (Puerto Iguazú 45,3%; Foz do Iguaçu 35,2%; Ciudad del Este 23,3%), sendo maior no sexo masculino e na faixa etária de 15 a 16 anos. Quanto a já ter tido iniciação sexual, esse fator associou-se a sexo, idade, escolaridade e turno de aula dos participantes. O recebimento de informações sobre contraceptivos foi associado a sexo, idade, escolaridade e uso de contraceptivo nos três municípios/países. Observou-se que os adolescentes de ambos os sexos haviam recebido informação sobre contraceptivos, principalmente da família e da escola. Conclusões Sugere-se que os municípios busquem a estruturação de política de fronteira trinacional com programas e projetos intersetoriais no intuito de promover práticas educativas voltadas à orientação da saúde sexual e reprodutiva de adolescentes.
Biblioteca responsável: BR1.1
Selo DaSilva