Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Caracterização fenotípica e genotípica de Serratia marcescens provenientes de Unidade Neonatal de Referência em Belém, Pará, Brasil / Phenotypic and genotypic characterization of Serratia marcescens from a Neonatal Unit in Belém, Pará State, Brazil

Carvalho, Raimundo Gladson Corrêa; Carneiro, Irna Carla do Rosário Souza; Pinheiro, Marcelo Sena; Pinheiro, Surama da Costa; Azevedo, Paulo Sérgio Roffe; Santos, Schirley Dias dos; Costa, Ana Roberta Fusco da; Ramos, Francisco Lúzio de Paula; Lima, Karla Valéria Batista.
Rev. Pan-Amazônica Saúde (Online); 1(1): 101-106, 2010. graf
Artigo em Português | Coleciona SUS | ID: biblio-945885
A Serratia marcescens tem sido relatada como importante agente de infecções relacionadas à saúde, destacando-se por apresentar elevado nível de resistência intrínseca aos antimicrobianos usados em neonatologia, além de persistir por longos períodos no ambiente hospitalar. Neste trabalho foram avaliadas, por métodos fenotípicos e moleculares, S. marcescens recuperadas a partir de colonização do trato gastrointestinal ou sepse tardia em neonatos internados em Unidade Neonatal em Belém. A identificação das S. marcescens e o teste de sensibilidade foram realizados por meio de sistema automatizado Vitek (BioMérieux); a suscetibilidade ao ertapenem foi avaliada com auxílio de disco contendo 10 μg da droga (Oxoide). A genotipagem foi feita por ERIC-PCR usando os primers ERIC1 (5'-TGAATCCCCAGGAGCTTACAT-3')e ERIC2 (5'-AAGTAAGTGACTGGGGTGAGCG-3'). Foram obtidas 22 cepas de S. marcescens, sendo 15 recuperadas de hemoculturas, e sete de vigilância (swab retal); todas apresentaram resistência a ampicilina, ampicilina-sulbactam, gentamicina e cefalotina. Não foi observada resistência a ciprofloxacina, imipenem, meropenem e ertapenem. Quanto aos demais antibióticos avaliados, o perfil de suscetibilidade foi variável. Foram obtidos 11 padrões de amplificação por ERIC-PCR, dois foram compartilhados por 14 isolados. Foi possível observar um padrão polimórfico característico para as cepas provenientes de colonização gastrointestinal, exceto em dois casos, que apresentaram padrões genotípicos relacionadas a casos de sepse. Os dados obtidos neste trabalho confirmam o elevado índice de resistência da S. marcescens aos antimicrobianos; no entanto, todos os isolados apresentaram sensibilidade à ciprofloxacina e aos carbapenêmicos. A tipagem por meio de antibiograma e ERIC-PCR sugere dispersão de clones associados à colonização ou sepse entre alas na Unidade Neonatal do hospital estudado.
Biblioteca responsável: BR275.1
Localização: BR275.1
Selo DaSilva