Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Como os pais lidam com a febre infantil: influência das crenças, conhecimento e fontes informação no cuidado e manejo da febre na criança ? revisão sistemática da literatura / Como os pais lidam com a febre infantil: influência das crenças, conhecimento e fontes informação no cuidado e manejo da febre na criança ? revisão sistemática da literatura

Gomide, Ana Carolina Micheletti; Silva, Ronaldo Machado; Capanema, Flávio Diniz; Gonçalves, Luiz Alberto Oliveira; Rocha, Regina Lunardi.
Rev. méd. Minas Gerais; 24(2)jun. 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | Jun 2014 | ID: lil-725966
Resumo: Introdução: a ?febre fobia? dos pais, preocupações e tratamento inapropriado da febre na infância têm sido documentados há aproximadamente duas décadas. A compreensão dos pais em relação à febre determina as suas preocupações, medos, reações e condutas frente ao cuidado da criança febril. Objetivo: verificar, com base na busca na literatura, o conhecimento, crenças, fontes de informação, práticas e atitudes dos pais e cuidadores no manejo da febre na criança. Metodologia: trata-se de revisão sistemática de literatura. Resultados/Discussão: a ?febre fobia? apresenta causas multifatoriais, entre elas, a experiência passada com uma criança febril, histórias trágicas resultantes da febre na criança, influências culturais e fontes de informação como família, profissionais de saúde, amigos, entre outras, também influenciam nas condutas frente à febre. Os pais ficam extremamente preocupados quando se deparam com a criança doente ea febre pode ser considerada indicador de enfermidade e prejudicial. Consideram que a febre pode acarretar danos na criança, apesar de numerosos relatos dos efeitos benéficos da baixa para moderada febre na literatura médica e científica. O manejo da febre infantil pelos pais será direcionado por suas crenças, fontes de informação e conhecimentosacerca do assunto. Conclusões: o medo exacerbado gera ansiedade e preocupações nos pais e/ou cuidadores que, associadas às suas concepções, direcionam as suas condutas e práticas de manejo da febre. A febre fobia persiste e os pais/cuidadores demonstram sentimentos de insegurança para cuidar de uma criança febril.
Introduction: the ?fever phobia? of parents, concerns, and inappropriate treatment of fever in childhood has been documented for nearly two decades. The parents? understanding of fever determines their concerns, fears, reactions, and conducts in the care of the febrile child. Objective: to verify, on the basis of a literature search, the knowledge, beliefs, information sources, practices, and attitudes of parents and caregivers in the management of fever in children. Methodology: this was a systematic review of the literature. Results/Discussion: the ?fever phobia? presents multifactorial causes, among them, the past experience with a febrile child, tragic stories resulting from the febrile child, cultural influences, and sources of information such as family, health professionals, and friends among others, also influence conducts towards fever. Parents become extremely worried when they have a sick child and fever can be considered an indicator of disease and harm. They consider that the fever may cause damage to the child, despite the numerous reports of the beneficial effects of low to moderate fever in the medical and scientific literature. The management of infant fever by parents will be directed by their beliefs, sources of information, and knowledge about the subject. Conclusions: exacerbated fear generates anxiety and concerns in parents and/or caregivers, is associated with their conceptions, and directs their conducts and fever management practices. The fever phobia persists and parents/caregivers demonstrate feelings of insecurity to take care of a febrile child.
Biblioteca responsável: BR1.1