Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Fatores associados à notificação de maus-tratos em crianças e adolescentes na atenção básica / Factors associated with the report and adolescent abuse in primary healthcare

Moreira, Gracyelle Alves Remigio; Vieira, Luiza Jane Eyre de Souza; Deslandes, Suely Ferreira; Pordeus, Maria Augediva Jucá; Gama, Isabelle da Silva; Brilhante, Aline Veras Morais.
Ciênc. saúde coletiva; 19(10): 4267-4276, 10/2014. tab
Artigo em Português | LILACS | Out 2014 | ID: lil-722742
Resumo: Objetivou-se analisar os fatores associados à notificação de maus-tratos em crianças e adolescentes na atenção básica. Estudo transversal com 381 profissionais (médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas), de três Regiões de Saúde do Estado do Ceará, Brasil. Foi utilizado um questionário autoaplicável sobre dados sociodemográficos, formação profissional, instrumentação e conhecimento sobre o tema, identificação e notificação de casos de maus-tratos. Análises bivariada e multivariada por regressão logística foram realizadas. Verificou-se que a frequência da notificação de maus-tratos pelos profissionais da atenção básica foi de 17,0%. A análise multivariada mostrou que participar de treinamento sobre o tema (OR = 2,18; IC95% = 1,05-4,53), conhecer a ficha de notificação (OR = 3,03; IC95% = 1,47-6,24) e saber encaminhar os casos (OR = 2,55; IC95% = 1,01-6,43) aumentou a chance dos profissionais notificarem situações de maus-tratos em crianças e adolescentes. As variáveis identificadas no modelo final sinalizam associação direta do ato de notificar com questões relativas ao conhecimento e capacitação na temática. Sugerem-se investimentos na formação dos profissionais de saúde com a finalidade de favorecer a qualificação da prática diante desse problema de saúde pública.
This study aimed to analyze factors associated with the reporting of child and adolescent abuse in primary healthcare. It is a cross-sectional study conducted with 381 professionals (physicians, nurses and dental surgeons) from three healthcare regions of the state of Ceara, Brazil. It used a self-administered questionnaire asking for socio-demographic data, vocational education and training, instrumentation and knowledge on the issue, identification and reporting of abuse cases. Bivariate and multivariate analyses using logistic regression were performed. There was a frequency of 17% of abuse reporting by basic healthcare professionals. The multivariate analysis showed that participating in the training on the issue (OR = 2.18; CI95% = 1.05-4.53), being familiar with the reporting form (OR = 3.03; CI95% = 1.47-6.24) and knowing how to refer the case properly (OR = 2.55; CI95% = 1.01-6.43) increased the chance of professionals reporting child and adolescent abuse. The variables identified in the final model showed a direct association between the act of reporting and matters related to knowledge and training on the issue. Investments in the training of healthcare professionals are required in order to favor the qualification of the practice for this public health problem.
Biblioteca responsável: BR1.1