Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Vigilância da leishmaniose visceral em localidades epidemiologicamente distintas em Juruti, um município minerário do Estado do Pará, Brasil / Surveillance of visceral leishmaniasis in epidemiologically distinct locations in Juruti, a mining municipality in Pará State, Brazil

Garcez, Lourdes Maria; Cardoso, Joyce Favacho; Chagas, Anadeiva Portela; Miranda, Jefferson Francisco Correia; Souza, Gilberto César Rodrigues de; Soares, Daniela Cristina; Bezerra, Lucilândia Maria; Fraiha, Habib; Shaw, Jeffrey Jon; Goto, Hiro.
Rev. Pan-Amazônica Saúde (Online); 1(1): 107-116, 2010. graf, map, tab
Artigo em Português | Coleciona SUS (Brasil) | 2010 | ID: biblio-945884
Resumo: Realizaram-se ações de vigilância para leishmaniose visceral humana (LVH) em Juruti, município minerário do Estado do Pará. Foram selecionadas as localidades de Santa Maria (SM), periurbana, e Capiranga (CA), rural, com e sem LVH, respectivamente, para quatro inquéritos sorológicos semestrais (ELISA-Lisado) nas populações caninas (SM = 94; CA =45) e três levantamentos entomológicos (armadilhas luminosas CDC, 18-6hx4). Posteriormente, investigaram-se clínico e infecção por em 53 cães (SM = 28; CA = 25) com diagnóstico parasitológico (medula/linfa, Giemsa), molecular (leucócitos do sangue periférico, kDNA-PCR) e sorológico (ELISA), avaliando-se diferentes antígenos (Lisado, k39, Hsp83 - , curva ROC). Soroprevalências variaram em SM (45; 40; 15; 15 por cento) e CA (22; 30; 8,5; 0 por cento), com médias crescentes de IgG em SM(320; 378; 951; 1866; p<0,05), apesar da eutanásia de cães após segundo inquérito, e estáveis em CA (100; 159, 141; 0), onde não houve eutanásia. A frequência de spp diferiu em SM (279/296) e CA (4/6). Os resultados clínicos e laboratoriais assemelharam-se para cães de SM e CA, respectivamente, quanto à infecção (parasitológico: 86 e 84 por cento; kDNA-PCR: 100 por cento), clínico (assintomáticos: 43 e 56 por cneto; sintomáticos: 57 e 44 por cento) e especificidade no ELISA (100 por cento), mas variaram sensibilidades(Lisado: 44 e 18 por cento; Hsp83: 48 e 27 por cento; k39: 48 e 41 por cento) e níveis de IgG ( 6.400; 200). O perfil da infecção canina nas localidades com e sem transmissão de LVH diferiu apenas em níveis/evolução de IgG, o que torna necessária a temporalidade dos inquéritos, sobretudo em áreas silenciosas, isoladas com baixa densidade do vetor, onde seria dispensável a eutanásia de cães. O melhor teste sorológico foi ELISA-k39.
Surveillance actions for human visceral leishmaniasis (HVL) were carried out in Juruti, a mining municipality in Pará State. A peri-urban (Santa Maria-SM) and a rural (Capiranga-CA) location were selected with or without HVL, respectively, for the execution of four biannual serologic inquiries (lysate ELISA) in canine populations (SM = 94, CA = 45) and three entomological surveys (CDC light traps, 18-6 h x4). Subsequently, the clinical status, as well as the infection by leishmania , was investigated in 53 dogs (SM = 28; CA = 25) with parasitological (bone marrow/lymph, Giemsa), molecular(peripheral blood leukocytes, kDNA-PCR) and serological (ELISA) diagnoses assessing different antigens (lysate, k39, Hsp83 - screen test, ROC curve). Seroprevalence varied in SM (45; 40; 15; 15 percent) and in CA (22; 30; 8.5; 0 percent), presenting increasing average IgG rates in SM (320; 378; 951; 1866; p <0.05) despite the euthanasia of dogs after the second survey, and stable average IgG rates in CA (100; 159; 141; 0), where euthanasia was not conducted. The frequency rates of lutzomyia longpalpis/Lutzomia spp. differed in SM (279/296) and CA (4/6). Clinical and laboratory results were similar for dogs from SM and CA, respectively: infection (parasitological examination: 86 and 84 percent; kDNA-PCR: 100 percent), clinical status (asymptomatic: 43 and 56 percent; symptomatic: 57 and 44 percent), and specificity by ELISA (100 percent). On the other hand, sensitivity (lysate: 44 and 18 percent; Hsp83: 48 and 27 percent; k39: 48 and 41 percent) and IgG levels ( 6,400; 200) varied, respectively. The profile of canine infection in localities with or without HVL transmission differed only in terms of the level/evolution of IgG, which makes the temporality of investigations necessary, especially in quiet and isolated areas that present a low vector density and where the euthanasia of dogs would become unnecessary. The best serological test was ELISA-k39.
Biblioteca responsável: BR275.1
Localização: BR275.1