Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Efeito sobre a morfologia do esmalte dental e análise físico-química de medicamentos utilizados por pacientes pediátricos com paralisia cerebral / Effect on dental enamel morphology and physical-chemical analysis of medicines used by pediatric patients with cerebral palsy

ALVES, Vanessa Feitosa; CARDOSO, Andreia Medeiros Rodrigues; CAVALCANTI, Yuri Wanderley; PADILHA, Wilton Wilney Nascimento.
Rev. odontol. UNESP (Online); 45(4): 201-205, July-Aug. 2016. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: lil-795231
Resumo Introdução Muitos medicamentos pediátricos líquidos são considerados fatores de risco para a estrutura dentária. Esse potencial pode aumentar quando ingeridos de forma crônica, como é o caso do tratamento de algumas condições, tal como a paralisia cerebral. Objetivo Avaliar o efeito sobre a morfologia do esmalte dental e as propriedades físico-químicas de medicamentos de uso contínuo indicados a pacientes infantis com Paralisia Cerebral. Material e método A amostra foi constituída por quatro medicamentos: Fenobarbital (M1), Carbamazepina (M2), Oxcarbazepina (M3) e Domperidona (M4), todos em suspensão oral. Analisaram-se o pH, o teor de Sólidos Solúveis Totais (SST) e a viscosidade dos medicamentos. Todos os testes foram realizados em duplicata. Para análise em microscopia eletrônica de varredura (MEV), 15 blocos de esmalte bovino foram distribuídos aleatoriamente e imersos em oxcarbamazepina (n=5), carbamazepina (n=5) e saliva artificial (n=5). Os ciclos de imersão foram feitos por seis dias, durante cinco minutos, duas vezes ao dia, com intervalos de 12 horas, quando ficavam mantidos em saliva artificial. O grupo controle permaneceu em saliva artificial. Os dados foram analisados descritivamente. Resultado Em relação ao pH endógeno, os valores variaram de 2,82 (M3) a 9,60(M1). Para o SST, as médias de maior e menor valor foram, respectivamente, de 20,5% (M3) e 46% (M1). A viscosidade variou de 6,89 mm2/s (M1) a 58 mm2/s (M3). Em MEV, observaram-se alterações sugestivas de perda de estrutura no esmalte dental em oxcarbamazepina e carbamazepina, proveniente da ação dos medicamentos analisados. Conclusão Concluiu-se que os medicamentos líquidos pediátricos analisados, indicados a pacientes com paralisia cerebral, apresentam potencial cariogênico e erosivo, destacando-se a Oxcarbazepina.
Biblioteca responsável: BR1.1
Selo DaSilva