Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Qualidade da Água de Sistema Alternativo Coletivo de Abastecimento para Consumo Humano: Ocorrência de Cistos de Giardiae Oocistos de Cryptosporidiumem Poços de São Paulo-SP / The Quality Of Drinking Water From An Alternative Water Supply System: Occurrence of Giardia Cysts And Cryptosporidium Oocysts In Wells of São Paulo, SP

Mastropaulo, Audry de Almeida; Razzolini, Maria Tereza Pepe.
Rev. bras. ciênc. saúde; 22(3): 237-246, 2018. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-916221

OBJETIVO:

Analisar a qualidade da água das soluções alternativas coletivas de abastecimento em uma Prefeitura Regional do município de São Paulo,verificando a presença de coliformes termo tolerantes e E. coli, quantificando (oo)cistos de Cryptosporidiumspp. e Giardiaspp. e avaliou-se a qualidade físico-química destas amostras.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Foram realizadas inspeções e coletas de água para realização de exames físico-químicos e bacteriológicos de acordo com os métodos da EPA 2005, MFQAA 2008 e os Standard Methods for Examination of Waterand Wastewater (APHA 2012), respectivamente, totalizando 34 amostras analisadas. Para a pesquisa de oocistosde Cryptosporidiumspp. e cistos de Giardiaspp, foram avaliadas 13 amostras de água, utilizando-se a técnica de filtração/separação imunomagnética/ microscopia de imuno fluorescênciade acordo com o Método 1623.1/EPA 2012, utilizando sistema Filta-Max®.

RESULTADOS:

Os parâmetros físico-químicos demostraram que 38,2% das amostras não atendiam a portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde. Verificouse a presença de coliformes termo tolerantes e de E. coli em uma amostra (2,9%). Os protozoários patogênicos estiveram presentes em uma frequência de 46% para Giardia e 7% para Cryptosporidium.

CONCLUSÃO:

Os padrões de potabilidade recomendados pela legislação vigente não foram atendidos em 41% das amostras, não sendo, portanto, adequadas para o consumo humano. Com relação aos protozoários patogênicos, verificou-se a sua ocorrência em águas subterrâneas utilizadas para consumo humano na cidade de São Paulo, colaborando para a reflexão do papel da vigilância ambiental e para a construção de políticas públicas que visem à qualidade da água distribuída à população a partir desses sistemas alternativos. (AU)
Biblioteca responsável: BR8.1
Selo DaSilva