Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual en Salud

Brasil

Home > Búsqueda > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportación:

Exportar

Email
Adicionar mas contactos
| |

ADESÃO AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS TIPO 2: DIFERENÇAS DE GÊNERO / Adherence to medication treatment of type 2 diabetes mellitus: gender differences

Oliveira, Rinaldo Eduardo Machado de; Ueta, Julieta; Franco, Laercio Joel.
Rev. APS; 21(3): 335-344, 01/07/2018.
Artículo en Portugués | LILACS-Express | ID: biblio-981791
O objetivo deste trabalho foi analisar a adesão ao tratamento medicamentoso de pessoas com diabetes mellitus tipo 2, com enfoque nas diferenças de gênero. Trata-se de um estudo transversal realizado em Unidades de Saúde da Família de Ribeirão Preto, São Paulo, com 100 mulheres e 100 homens com diabetes tipo 2, em uso de medicamentos, igualmente estratificados nas faixas etárias de 18-59 anos e de 60 anos ou mais. As variáveis investigadas foram sociodemográficas, clínicas e adesão mensurada por meio do Brief Medication Questionnarie. A prevalência de adesão estimada foi de 71% nos homens e 62% nas mulheres. Verificaram-se associações entre adesão e homens com autopercepção da saúde como boa, que usavam um medicamento, de administração por via oral, que não apresentavam reações adversas e obtiveram os medicamentos pelo Programa Farmácia Popular do Brasil (p<0,01). Nas mulheres, observou-se associação entre adesão e uso de um medicamento (p<0,01), provido pelo Programa Farmácia Popular do Brasil (p<0,04), e que não apresentaram reações adversas aos antidiabéticos (p<0,01). A frequência de adesão e as variáveis que influenciavam neste processo foram maiores entre os homens. Logo, verifica-se a necessidade de considerar as singularidades dos gêneros nas intervenções em diabetes, especialmente, nos aspectos relacionados ao tratamento medicamentoso.
Biblioteca responsable: BR1861.9
Selo DaSilva