Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Quais são as indicações de tratamento com oseltamivir para síndrome gripal?

Núcleo de Telessaúde Rio Grande do Sul | Segunda Opinião Formativa | 14 Nov 2018 | ID: sof-40437
Resposta:

O uso do Oseltamivir está indicado para determinados grupos de pacientes, independentemente da situação vacinal:
Pacientes com síndrome gripal1 e alguma condição ou algum fator de risco para complicação: gestantes, puérperas até 2 semanas após parto ou aborto, crianças menores de 5 anos, idosos, população indígena aldeada, indivíduos menores de 19 anos de idade em uso prolongado de ácido acetilsalicílico, indivíduos que apresentem: pneumopatias (incluindo asma), tuberculose de todas as formas, cardiovasculopatias (excluindo hipertensão arterial sistêmica), nefropatias, hepatopatias, diabetes mellitus e outros distúrbios metabólicos, doenças hematológicas (incluindo anemia falciforme), transtornos neurológicos e do desenvolvimento que possam comprometer a função respiratória ou aumentar o risco de aspiração (disfunção congênita, lesões medulares, epilepsia, paralisia cerebral, síndrome de Down, AVC ou doenças neuromusculares), obesidade (Índice de Massa Corporal – IMC ≥ 40 em adultos) e imunossupressão associada a medicamentos, neoplasias e HIV/AIDS;
Pacientes com síndrome gripal e que, embora não apresentem fatores de risco nem sinais de gravidade, tiverem piora do estado clínico na evolução do quadro, caracterizada por: persistência ou agravamento da febre por mais de três dias, miosite comprovada por aumento de creatinofosfoquinase (CPK), alteração do sensório, desidratação ou, em crianças, exacerbação dos sintomas gastrointestinais;
Paciente com síndrome respiratória aguda grave (SRAG): são pacientes que, além de síndrome gripal, apresentem dispneia, dessaturação, hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente e exacerbação de doença preexistente ou disfunções orgânicas graves (como insuficiência renal aguda) e indivíduo de qualquer idade com quadro de insuficiência respiratória aguda, durante período sazonal. Além disso, também devem ser consideradas crianças que apresentarem batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência. Os pacientes com SRAG devem ser internados e ter amostras de secreções de vias áreas coletadas para identificação viral.