Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico e fatores associados na atenção primária da hipertensão arterial / /Adherence to pharmacological and non pharmacological treatment for arterial hypertension and associated factors in primary care

Girotto, Edmarlon; Andrade, Selma Maffei de; Cabrera, Marcos Aparecido Sarria; Matsuo, Tiemi.
Ciênc. Saúde Colet; 18(6): 1763-1772, Jun. 2013. tab
Artigo em Português | INTEGRALIDADE | Jun 2013 | ID: int-4089
Resumo: Com o objetivo de determinar a adesão aos tratamentos farmacológico e não farmacológico da hipertensão arterial na atenção primária e identificar fatores associados, realizou-se estudo transversal com 385 hipertensos de 20 a 79 anos cadastrados em uma unidade de saúde da família de Londrina, Paraná. A adesão ao tratamento farmacológico foi de 59,0%. A atividade física regular foi relatada por 68 (17,7%) hipertensos, enquanto 266 (69,1%) referiram mudanças da alimentação. Na análise de regressão múltipla, associaram-se à adesão ao tratamento farmacológico: maior idade (50 a 79 anos), ter recebido ao menos uma consulta ao ano, não ingestão regular de bebidas alcoólicas e infarto prévio. Hipertensos do sexo masculino, com escolaridade igual ou superior à 4ª série, que receberam pelo menos uma consulta ao ano, com diabetes e sem relato de colesterol elevado mostraram-se mais aderentes à atividade física regular. A realização de dieta associou-se à escolaridade inferior à 4ª série e ao fato de ter recebido no mínimo uma consulta ao ano. Tais resultados demonstram níveis variados de adesão ao tratamento e evidenciam a importância de ações integrais na atenção ao hipertenso.(AU)
A cross-sectional study was conducted with 385 hypertensive patients between 20 and 79 years of age in a family health unit in Londrina, State of Parana, Brazil, to determine the adherence to pharmacological and non pharmacological treatment for arterial hypertension in primary healthcare and identify associated factors. The adherence to pharmacological treatment was 59%. Regular physical activity was reported by 68 (17.7%) hypertensive patients and 266 (69.1%) mentioned dietary changes. In the multiple regression analysis, adherence to drug treatment was associated with: increased age (50 to 79), consulting with a physician at least once a year, no regular alcohol consumption and previous myocardial infarction. Hypertensive males, with education up to 4th grade and above, who had at least one consultation per year, with diabetes or no history of high cholesterol, were more adherent to physical activity. Dietary changes were associated with education below the 4th grade and consulting with a physician at least once a year. These results show variable levels of adherence to treatment and demonstrate the importance of comprehensive actions in the care for hypertensive patients.(AU)
Biblioteca responsável: BR526.1