Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Hanseniasis/Hanseníase: considerações sobre o desenvolvimento e contribuição (institucional) de instrumento diagnóstico para vigilância epidemiológica

Silvestre, Maria do Perpétuo Socorro Amador; Lima, Luana Nepomuceno Gondim Costa.
Rev Pan-Amaz Saude; 7(Ed. esp.): 93-98, 2016.
Artigo em Português | IEC | 2016 | ID: iec-15847
Resumo: A hanseníase faz parte das doenças prevalentes no Estado do Pará. As antigas Colônia do Prata, em Igarapé-Açu, e Colônia Marituba, na região metropolitana de Belém, ambas no Pará, onde eram hospedados pacientes portadores do mal de Hansen, retratam uma realidade histórica da época em que os pacientes eram segregados e separados das respectivas famílias em função do contágio a que estavam expostas. O advento do tratamento multidroga ou poliquimioterápico, no Brasil na década de 1980, mudou consideravelmente o quadro da endemia no País, com uma redução acentuada da prevalência da doença; embora o aparecimento de casos novos não apresente redução significativa nos países endêmicos, ainda assim, o quadro epidemiológico sofreu mudanças substanciais nos últimos 20 anos. O Instituto Evandro Chagas (IEC), órgão de pesquisa da Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, iniciou estudos epidemiológicos e realizou atividades de vigilância em saúde pública referentes à hanseníase na década de 1990, mais precisamente, em 1998, quando aplicou um método laboratorial simples, denominado ML Dipstick, o qual pesquisa anticorpos da classe IgM contra o glicolipídeo fenólico-I (PGL-I), um antígeno de parede celular específico do Mycobacterium leprae, em cinco municípios endêmicos para hanseníase no Estado do Pará. Este estudo de revisão tem como objetivo descrever a trajetória do desenvolvimento do Programa de Hanseníase no IEC, bem como avanços e perspectivas futuras, relevantes no contexto da endemia hansênica no Pará (AU)
Hanseniasis is a prevalent disease in Pará State, Brazil. The old settlements Colônia do Prata (Igarapé-Açu) and Colônia Marituba (metropolitan area of Belém), both in Pará, were home to patients with hanseniasis and portray a historical reality of patient segregation and separation from their families because of their contagious disease. Multidrug treatment (polychemotherapy) was established in Brazil during the 1980s and led to a significant countrywide decrease in the prevalence of hanseniasis. Although there were no significant decreases in the number of new cases reported in endemic countries, the epidemiologic framework dramatically changed during the past 20 years. Instituto Evandro Chagas (IEC) is a research agency of the Health Surveillance Secretariat of the Ministry of Health, which conducted epidemiologic studies and performed public health surveillance on hanseniasis during the 1990s. In 1998, a simple laboratory method called ML Dipstick was used for identifying IgM antibodies against the phenolic glycolipid-I (PGL-I), a Mycobacterium leprae-specific antigen; and those studies were conducted in five endemic municipalities located in Pará State. This report aimed to describe IEC's Hanseniasis Program, as well as provide future perspectives on hanseniasis in Pará State (AU)
Biblioteca responsável: BR275.1
Localização: PCIEC2016 / BR275.1