Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Comissões de Controle de Infecção Hospitalar: perspectiva de ações do Conselho Regional de Enfermagem / Hospital Infection Control Committees: perspective of actions of the Regional Council of Nursing / Comisiones de Control de Infección Hospitalaria: perspectiva de acciones del Consejo Regional de Enfermería

Lamblet, Luiz Carlos Ribeiro; Padoveze, Maria Clara.
Cad. Ibero Am. Direito Sanit. (Impr.); 7(1): 29-42, jan.-mar. 2018.
Artigo em Português | LILACS | Abr 2018 | ID: biblio-882226
Resumo: Objetivo: Caracterizar as Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) nos hospitais, por meio da análise dos relatórios das fiscalizações do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SP); obter subsídios para proposta de melhoria nas atividades de enfermeiros das CCIH e aprimorar as ações de fiscalização. Metodologia: Estudo transversal descritivo e exploratório, por meio de consulta dos relatórios de fiscalizações realizadas entre setembro de 2012 e fevereiro de 2017. Resultados: Foram avaliados relatórios de todas as instituições hospitalares (n=838) no Estado de São Paulo. Dessas, 778 instituições (92,84%) possuíam CCIH; porém em 318 (40,87%), o enfermeiro não era exclusivo, realizando ações gerenciais ou assistenciais ao mesmo tempo em que atuava na CCIH, descumprindo a legislação vigente. Das 60 instituições que não possuíam CCIH, 51 (85,0%) eram de pequeno porte (≥50 leitos). Conclusão: A falta de conformidade com os requisitos legais em recursos humanos sugere que a estrutura de prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) ainda é deficiente em muitos hospitais do estado de São Paulo, o pode levar a falhas na implementação efetiva de medidas de prevenção. Auditorias e fiscalizações, como as realizadas pelo Coren-SP desempenham papel importante e podem fazer parte de uma ampla estratégia governamental para alcançar melhorias nos serviços de saúde.
Objective: Characterize the Commission for the Control of Hospital Infections (CCHI) in hospitals by means of the analysis of inspection reports of the Regional Council of Nursing (Coren-SP); obtain subsidies to propose improvements in CCHI nursing activities and improve inspection actions. Methodology: Descriptive and exploratory cross-sectional study by consulting inspection reports from September 2012 to February 2017. Results: Reports from all hospitals in the state of São Paulo were evaluated (n=838). Of these, 778 hospitals (92.84%) had CCHI, but in 318 (40.87%), nurses were not exclusive, carrying out managerial or assistance actions while acting in the CCHI, not complying with current legislation. Of the 60 institutions that didn't have CCHI, 51 (85.0%) were small-sized (≥50 beds). Conclusion: The lack of compliance with legal requirements in human resources suggests that the healthcare-associated infection (HCI) prevention structure is still deficient in many hospitals in the state of São Paulo, which may lead to failures in the effective implementation of prevention measures. Audits and inspections, such as those conducted by Coren-SP, play an important role and may become part of a broader governmental strategy to achieve improvements in health services.
Objetivo: Caracterizar las Comisiones de Control de Infección Hospitalaria (CCIH) en los hospitales por medio del análisis de los informes de las fiscalizaciones del Consejo Regional de Enfermería (Conselho Regional de Enfermagem ­ Coren-SP); obtener subsidios para propuesta de mejoría en las actividades de los enfermeros de las CCIH y perfeccionar las acciones de fiscalización. Metodología: Estudio transversal descriptivo y exploratorio por medio de consulta de los informes de fiscalizaciones realizadas entre setiembre de 2012 y febrero de 2017. Resultados: Fueron evaluados los informes de todas las instituciones hospitalarias (n=838) en el Estado de São Paulo. De esas, 778 instituciones (92,84%) tenían CCIH; pero en 318 (40,87%), el enfermero no era exclusivo, realizando acciones de gestión administrativa o asistenciales al mismo tiempo en que actuaba en la CCIH, trasgrediendo la legislación vigente. De las 60 instituciones que no tenían CCIH, 51 (85,0%) eran de pequeño porte (≥50 lechos). Conclusión: La falta de conformidad con los requisitos legales en recursos humanos sugiere que la estructura de prevención de infecciones relacionadas a asistencia en salud (IRAS) aún es deficiente en muchos hospitales del estado de São Paulo, o puede acarrear fallas en la implementación efectiva de medidas de prevención. Auditorías y fiscalizaciones, como las realizadas por Coren-SP desempeñan un papel importante y pueden formar parte de una amplia estrategia gubernamental para alcanzar mejorías en los servicios de salud.
Biblioteca responsável: BR208.2