Your browser doesn't support javascript.

BVS APS

Atenção Primária à Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Clown- o palhaço como intervenção e humanização em saúde / The clown as intervention and health humanization

Silva, Cristiane Pavanello Rodrigues; Conceição, Ana Paula da; Chagas, Ana Paula dos Santos.
J. Health Biol. Sci. (Online); 5(4): 352-359, out-dez/2017. tab
Artigo em Português | LILACS | Out 2017 | ID: biblio-875513
Resumo: Introdução: A humanização na saúde é uma relação efetiva de cuidados, que se evidenciam na acolhida, na sensibilidade, no respeito e na compreensão do doente e não somente da doença. Ressalta-se a importância do voluntariado nas organizações, cujo trabalho pode beneficiar a transformação do ambiente na direção da humanização. Objetivo: descrever a percepção dos participantes do grupo de voluntários "Doutoralhaços" com o trabalho de Clown como intervenção na saúde. Métodos: Pesquisa qualitativa, de campo, com análise de conteúdo, em São Paulo, amostra de 13 participantes. Foi aplicado instrumento específico: dados sociodemográficos e questionário aberto, estruturado, para avaliação da percepção dos voluntários. Resultados: Houve 56,5% de adesão, com 100% de percepção "satisfatória" com o trabalho do grupo com ênfase na humanização e na integração; 33% citaram a percepção da melhora na resposta ao tratamento, 61,5% referiram não ter dificuldades relacionadas aos profissionais de saúde, com boa receptividade, ênfase na importância da humanização, presente no trabalho voluntário; ficou evidente o reconhecimento do grupo perante os profissionais; 11,8% dos participantes relataram a necessidade de atenção e humanização, também, para os familiares e profissionais da saúde, de forma lúdica, com redução do foco no estresse da dor e da doença. Conclusão: a humanização é ponto chave do bem-estar do paciente, um olhar holístico para além da doença, para um ser biopsicossocial e espiritual. A intervenção de saúde, por meio do Clown, é factível no ambiente hospitalar à medida que permite humanizar e estimular a recuperação do ser humano de forma ampla e integrada. (AU)
Introduction: Humanization in health is an effective relationship of care, evidenced in the acceptance, sensitivity, respect and understanding of the patient and not only in terms of the disease. Emphasis is given to the importance of volunteering in organizations, whose work can benefit the transformation of the environment towards humanization. Objective: to describe the perception of the participants of the group of volunteers "Doutoralhaços" acting as clowns as an intervention in health. Methods: Qualitative field research, with content analysis, in São Paulo, sample of 13 participants. A specific instrument was applied: sociodemographic data and an open structured questionnaire to assess the perception of volunteers. Results: There was 56.5% adherence, with 100% "satisfactory" perception of the group's work with emphasis on humanization and integration; 33% cited the perception of improvement in the response to treatment, 61.5% reported not having difficulties related to health professionals, with good receptivity, emphasis on the importance of humanization, present in voluntary work. The group's recognition of the professionals was evident; 11.8% of the participants reported the need for attention and humanization, in a playful way, to the relatives and health professionals, with a reduced focus on the stress of pain and illness. Conclusion: that humanization is a key point for patient well-being, a holistic look beyond disease, toward a biopsychosocial and spiritual being. The health intervention, by means of the Clown, is feasible in the hospital environment as it allows humanizing and stimulating recovery of the human being in a broad and integrated way.(AU)
Biblioteca responsável: BR1780.2